Controle de Umidade no Vidro Evita Manchas e Perdas

Controle de Umidade na Indústria do Vidro
Controle de Umidade na Indústria do Vidro

Para garantir a qualidade e resistência de cada tipo de vidro, é preciso muito mais do que uma boa matéria – prima. Os fabricantes e processadores devem dar atenção à climatização dos ambientes, já que o menor sinal de temperatura e umidade alta pode significar a perda das chapas de vidro. A qualidade de todos os tipos de vidro depende diretamente do cuidado e cumprimento das normas desde a fabricação até o armazenamento.

 

Produção de vidro no Brasil

Levando em consideração o faturamento, número de empregos, produção e a balança comercial de importação e exportação, conclui-se que depois de três anos em queda, a produção e comercialização do vidro passou a crescer.

Os brasileiros recorrem diariamente ao uso de vidros blindados, vidros laminados, vidros planos e temperados pela segurança que oferecem. A blindagem de carros, por exemplo, oferece proteção até mesmo em situações extremas. A busca é tão grande que o Brasil lidera o ranking mundial nesse setor, e até o fim de 2018 somou quase 220 mil veículos blindados.

Em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, a busca pelo vidro blindado é ainda maior e para se manter vivo nesse mercado, é preciso entregar produtos que de fato sejam capazes de garantir privacidade, segurança, conforto térmico e acústico.

De acordo com o Panorama 2019 da ABRAVIDRO – Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos, a produção nacional gira em torno de:

Desumidificador de ar para industria do vidro infográfico

Tipos de vidros

O vidro float é que dá origem a tantos outros tipos de vidro. Ele passa por procedimentos como choque térmico, laminação e corte para que seja usado em construções, casas e apartamentos, móveis, carros blindados e tantos outros lugares.

Dentre todos os tipos de vidro citados acima, os mais conhecidos são:

Laminado - O que o difere dos demais é a presença de Polivinil Butiral ou Etil Vinil Acetato entre uma chapa de vidro e outra. A principal característica é que quando sofre impacto, não estilhaça. É também o tipo de vidro usado para blindagem de carros.

Temperado – Cinco vezes mais forte que o float, esse tipo de vidro passa por uma série de mudanças de temperatura que lhe garantem resistência.

Aramado - O diferencial é que uma camada metálica, invisível a olho nu, é adicionada em sua produção. Essa camada metálica é composta por uma malha de aço que fica dentro da malha do vidro.

Vidro Insulado - É responsável por bloquear o calor e os sons, garantindo um ambiente fresco e iluminado.

Irisação no vidro como evitar infográfico

Defeitos mais comuns em vidro

Todo tipo de vidro está sujeito a danos: eles podem ser lascados, apresentar falhas na espessura e nas bordas, ter bolhas, desgastes na superfície e até quebrar de repente. Por isso, todo cuidado é pouco. Os defeitos podem surgir desde o pré-processamento até o transporte e a instalação.

E, embora os processos de produção sejam diferentes no que diz respeito aos equipamentos e aos materiais utilizados, todos têm uma necessidade em comum: manter temperatura e umidade controlada em alguma fase.

Além das precauções que precisam ser tomadas ao manusear o maquinário e usar produtos químicos para limpeza, é preciso controlar a umidade para evitar problemas. Quando o ambiente não é controlado, as chances de manchas e riscos surgirem são bem maiores. E qualquer imperfeição, por menor que seja, pode levar a perda das chapas e ao prejuízo financeiro de clientes e fabricantes.

Os principais defeitos são:

Manchas nos vidros

A pergunta “como tirar a irisação do vidro?” é uma dúvida frequente. Um problema comum e conhecido há tempos pelos vidraceiros é a “Irisação”, processo que ocorre quando as chapas são estocadas em locais úmidos e manchas começam a surgir, indicando que ocorreu condensação entre as chapas. Comum principalmente em vidros de proteção solar e chapas coloridas ou escuras, as manchas costumam ser semelhantes à um arco-íris ou tem aspecto de óleo.

Quais as consequências do surgimento de manchas no vidro?

Vidros Float - As chapas são substituídas e ocorre atraso na entrega, devido necessidade de reposição;

Espelhos - A capacidade de reflexão pode ser comprometida;

Laminados - Caso a mancha seja interna, ela pode atingir a camada de PVB/EVA e comprometer a segurança que a peça oferece. Se a película de plástico for de Polivinil Butiral, deve-se tomar mais cuidado ainda. Essa é uma substância higroscópica, que absorve a água presente no ambiente, o que acarreta problemas durante a fabricação, armazenamento e uso do adesivo de laminação;

Temperados - Assim como nos outros vidros, elas podem provocar erosão e diminuir a resistência.

Vidro delaminado

O excesso de umidade também pode afetar a resistência dos vidros de segurança. Laminados e temperados que são comumente aplicados em carros e construções civis podem perder sua principal característica diante do contato com a umidade. É que a película de polivinil butiral colocada entre as chapas de vidro é higroscópica, e ao absorver a água presente no ambiente ela provoca surgimento de bolhas que após afetarem 40% do vidro, provocam a perda do efeito de blindagem.

E ainda de acordo com a portaria n° 55 Colog de 11 de agosto de 2017 do Exército Brasileiro, não é mais permitido o reparo ou a recuperação dos vidros usados para blindar carros:

“CAPÍTULO V – DO DESTINO FINAL DAS BLINDAGENS

Art. 56. Não será autorizada a reparação ou reutilização de blindagem balística aplicada em veículos, embarcações, aeronaves ou estruturas arquitetônicas.

Art. 57. As blindagens balísticas inservíveis ou com avarias devem ser substituídas por outras blindagens novas e, posteriormente, destruídas.”

A reautoclavagem não é mais uma opção. E, diante disso, o prejuízo pode ser ainda maior caso um defeito seja identificado, já que as chapas danificadas devem ser eliminadas. Por isso, o ideal é seguir as regras criadas pela ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas que alertam sobre a produção, o armazenamento e indicam as condições ideais do ambiente que cada tipo de chapa de vidro exige.

Para vidros usados na construção civil, por exemplo, a NBR 7199 determina que “Cada unidade de acondicionamento deve identificar o tipo de vidro e suas dimensões, bem como conter símbolos convencionais de manuseio, proteção contra umidade e choques mecânicos”.

Caso as normas não sejam seguidas, resta então aos engenheiros, técnicos e inspetores de qualidade apenas descartar esses produtos. E apesar do vidro ser um material 100% reciclável, ninguém quer que horas de trabalho e investimento financeiro sejam perdidos.

Existem mais normas para vidros?

Sim, para que o vidro seja produzido, armazenado e tenha a qualidade necessária, os fabricantes devem seguir algumas normas determinadas pela ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. De todas as 35 normas vigentes, aqui estão as que fazem menção ao controle de umidade no armazenamento das chapas sobre vidro:

NBR 14698: 2001 - Vidros Temperados - Manuseio, armazenamento e transporte

8.4 As chapas de vidro temperado devem ser armazenadas em local protegido de poeira, umidade e isento de produtos químicos, evitando o surgimento de condensações ou contatos físicos que possam danificá-lo.

NBR 16673: 2018 - Vidros Revestidos para Controle Solar – Requisitos de processamento e manuseio

4.2 Controle de recebimento e armazenamento

O armazenamento dos produtos deve ser feito em local seco, ventilado e protegido de qualquer umidade (longe de portas externas, lavadoras ou áreas de armazenamento de produtos químicos.

Como garantir a qualidade dos vidros de segurança?

Para manter a produtividade sem que os problemas citados anteriormente aconteçam, é necessário controlar a umidade do ar. E só através da eficiência e alta tecnologia da Linha Desidrat da Thermomatic é possível fazer isso.

O emprego do Desidrat garante que a produção de vidro não seja afetada por mudanças climáticas, diminui a variação na qualidade das chapas e o investimento em manutenção. Além de tudo, o uso do equipamento permite maior controle de todos os processos dentro da fábrica e da processadora.

O Desidrat remove a umidade do ar de forma rápida e eficaz, podendo chegar a um percentual de 20%. Através de alta tecnologia, o equipamento promove um controle meticuloso e garante a alta qualidade para que cada vidro cumpra sua função. Para saber mais informações sobre os modelos de Desidrat desenvolvidos pela Thermomatic para manter o controle da umidade durante a produção e armazenamento para garantir a qualidade do produto final, fale com um de nossos consultores.

Agende uma visita técnica, agora!

Surgiu alguma dúvida? Fale conosco!

Erro: Preencha os campos obrigatórios.

© Thermomatic do Brasil | Otimização de Sites SEO - Marketing em Internet