Desumidificador de ar para acervo audiovisual

Desumidificador de Ar para Acervo Audiovisual
Desumidificador de Ar para Acervo Audiovisual

Acervos audiovisuais traduzem através de imagens e sons a história das últimas décadas e até séculos do Brasil e do mundo. O valor cultural desse tipo de patrimônio é tão grande que se faz necessária manutenção constante das condições climáticas para armazenamento das peças feitas de materiais delicados e antigos. Películas de filmes e fotos exigem controle de umidade para que a qualidade e a nitidez das imagens sejam preservadas.

A conservação de acervos fílmicos, videográficos e outras peças envolvidas em todo processo de produção audiovisual é há tempos discutida por aqui. A preocupação em assegurar a durabilidade desses materiais é tão grande que até mesmo documentos foram criados para fomentar ações.

Além do Plano Nacional de Preservação Audiovisual, criado pela Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, são inúmeros os livros, artigos e debates que figuram em museus, universidades e até indústrias a respeito da preservação de fílmicos.

Apesar de grande parte do acervo nacional se concentrar entre Rio de Janeiro e São Paulo, existem ainda arquivos de cinema em outros estados e cidades brasileiras. E em todos os locais, o excesso de umidade é uma ameaça, pois sob influência do clima tropical no qual vivemos, torna-se difícil atingir os níveis exigidos para salvaguarda desse patrimônio.

De acordo com Maria Fernanda Curado Coelho, autora de uma análise da experiência brasileira na conservação de acervos audiovisuais, feita durante o programa de Pós Graduação da Escola de Comunicação e Artes da USP “As altas temperaturas e umidades, associadas às mudanças bruscas, aceleram o processo degenerativo dos materiais. O ambiente tropical, por suas características climáticas, funciona como uma câmara de envelhecimento acelerado, pois provoca processos degenerativos também acelerados.”

As consequências do excesso de umidade no acervo fílmico

Os efeitos da umidade alta sob o acervo fílmico ameaçam sua sobrevivência e aumentam as chances de um incidente. A FIAF – Federação Internacional de Arquivos de Filmes constatou que a umidade é um dos principais agentes de deterioração de filmes coloridos e em preto e branco, tenham eles base de gelatina com nitrato ou acetato em sua composição.

Nos filmes a base de nitrato, material capaz de pegar fogo apenas com o calor, os maiores riscos envolvem aceleração do processo de decomposição; hidrólise e risco de autocombustão. Ao absorver a umidade do ar, dá-se início a uma reação química no filme, o que aumenta as chances de um incêndio começar.

Vale lembrar que em 2016, cerca de 1.000 rolos originais de filmes rodados até 1950 foram perdidos em meio às chamas que tomaram conta da Cinemateca Brasileira.

Já nos filmes a base de acetato, o excesso de umidade provoca cristalização do plastificante. E, naqueles em que a gelatina é presente, os danos implicam no surgimento de fungos, na alteração da cor das imagens e destruição da emulsão.

Mantenha as condições climáticas ideais e preserve o acervo audiovisual

Além de medidas básicas já conhecidas, como separação de arquivos de nitrato e arquivos já em decomposição para evitar contaminação e incêndios, no que tange a conservação, o mais importante é o controle rigoroso de umidade do ar.

Mesmo que a duplicação seja um método usado frequentemente para que não se perca o conteúdo dos rolos, trata-se de um patrimônio de valor cultural imenso. E além de profissionais devidamente treinados e materiais de limpeza específicos, é preciso contar com a presença de equipamentos de alta tecnologia para atingir as condições ideais de preservação.

Desidrat para salvaguarda da memória audiovisual brasileira

Desenvolvido para trabalhar em ambientes que exijam baixas temperaturas, o Desidrat permite controlar a umidade do ar nos níveis específicos de cada tipo de filme. O equipamento mantém a umidade do ar entre 20% e 30%, níveis indicados pela FIAF como diretrizes de preservação.

O controle de umidade através de um desumidificador Desidrat permite que os filmes tenham sua vida útil prolongada, além de conservar originais e cópias, evitando deterioração causada principalmente por fungos e colaborando para o bem-estar de quem trabalha ali.

O desumidificador de ar é uma ferramenta de alta tecnologia e de fácil adaptação para as mais diferentes localidades de museus e acervos, sejam eles próximos ao mar ou no centro da cidade.

A Thermomatic disponibiliza uma equipe especializada e capacitada para realizar visitas técnicas que incluem análise minuciosa do acervo e dos materiais dispostos nele. Tudo para garantir a preservação de patrimônio através do controle de umidade.

Desumidificadores Desidrat.

Quem usou, aprovou!

Confira abaixo alguns de nossos desumidificadores para controle de umidade em acervo audiovisual:

© Thermomatic do Brasil | Otimização de Sites SEO - Marketing em Internet

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para guardar estatísticas de visitas e assim melhorar sua experiência de navegação, saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi e Fechar