Rinite alérgica: sintomas, causas e tratamentos eficazes

Rinite alérgica: sintomas, causas e tratamentos eficazes
Rinite alérgica: sintomas, causas e tratamentos eficazes

No Brasil, cerca de 30% dos adolescentes e 26% das crianças apresentam sintomas de rinite alérgica, segundo dados do ISAAC - The International Study of Asthma and Allergies in Childhood. O estudo ainda deixou claro que o país está entre os que têm o maior número de pessoas com rinite ou asma no mundo.

Vale lembrar que a genética influencia os casos crônicos da doença. O filho de um casal alérgico tem de 50% a 70% de chance de também sofrer com alergias. A hereditariedade é associada a fatores ambientais e resulta na manifestação da doença, que não costuma ocorrer antes dos 12 meses de vida.

O diagnóstico de rinite alérgica pode ser feito através de teste cutâneo, solicitado por um otorrinolaringologista ou um alergologista, que darão um parecer final sobre o tratamento necessário para cada tipo da doença.

 

Mulher com spray nasal para rinite

O que é rinite alérgica?

A rinite alérgica é um processo de reação do nosso corpo a alguma partícula estranha que inalamos, mais conhecidas como alérgenos. Quando essas partículas passam pelo nosso nariz (que funciona como um filtro), elas são imediatamente detectadas pelo sistema imunológico que, por sua vez, reage numa tentativa de proteger nosso organismo.

A rinite alérgica pode ocorrer durante o ano todo, mas se torna mais frequente em épocas como o outono e inverno.

Causas da reação alérgica - Agentes 

Ácaros: microrganismos altamente alérgenos, que se desenvolvem em ambientes escuros e úmidos. Se proliferam em locais que acumulam poeira, em pelos de animais de estimação, em colchões, roupas de cama e banho, entre outros;

 

 

Mofo e bolor: assim como os ácaros, os fungos também preferem lugares úmidos para se proliferarem. São comumente encontrados em paredes, no teto e em móveis de madeira;

 

 

Pólen: os agentes alérgenos ficam suspensos no ar durante a primavera, mas também podem estar presentes em qualquer época do ano com a presença de flores;

 

 

Mudanças bruscas de temperatura: são comuns no Brasil, principalmente na região Sudeste, que apresenta trocas repentinas de temperatura, independente da estação;

 

 

Produtos de limpeza: o cheiro forte de produtos de higiene residencial pode causar a irritação dos olhos e do nariz, facilitando o desenvolvimento da alergia.

 

Sintomas da rinite alérgica

Logo após o contato com os alérgenos é possível notar sintomas como:

- Acúmulo de líquido na mucosa do nariz, causando obstrução nasal;

- Espirros frequentes em um curto período de tempo;

- Coceira no nariz, nos olhos ou na garganta;

Sinais como dor de cabeça, fadiga e falta de ar costumam aparecer algumas horas depois do contato.

Rinite alérgica tem cura?

Teoricamente, nenhum medicamento cura rinite alérgica. Mas, apesar de não haver cura para a rinite, os sintomas podem ser controlados com remédios que garantem uma vida completamente normal ao paciente.

Na prática, o ideal é que a pessoa alérgica jamais abandone o seu tratamento e seus medicamentos, indicados sempre por prescrição médica.

O elenco de remédios para rinite é vasto. Muitas vezes são necessárias várias tentativas para se chegar ao medicamento ideal. Algumas pessoas fazem uso de anti histamínicos, mas cada caso deve receber um diagnóstico e o tratamento correto da doença, para não sofrer com efeitos colaterais.

 

Mulher assoando o nariz devido à rinite

Tratamento para Rinite Alérgica

Mas por que tratar a rinite? Se não tratada, ela pode apresentar outros sintomas e levar a mais doenças respiratórias, como sinusite e asma.

Nos casos específicos de rinite alérgica, os tratamentos com vacina e imunoterapia poderão ajudar no controle da doença. Para os outros tipos de rinite (não alérgicas), essas prescrições não surtem os efeitos desejados.

Diagnosticada com o quadro de rinite alérgica, a pessoa deve se atentar às condições do ambiente, evitando o contato com os agentes agressores, como: poeira domiciliar, poluição do ar, fumaça de cigarro, cheiro de produtos químicos e microrganismos (ácaros e fungos em geral), dentre outros.

Uma recomendação simples, mas muito eficiente, é não descuidar da higiene nasal. Lave sempre o nariz com soro fisiológico e, em casos excepcionais, apenas com água potável, de preferência mineral. Isso irá aliviar a congestão nasal e trazer mais conforto para o paciente.

Quem tem rinite alérgica, pode optar pelo uso de produtos sem cheiro, mesmo quanto à higiene pessoal. O sabão e shampoo de glicerina são opções válidas que não causam reações exageradas.

Em relação aos ambientes residenciais, o dormitório pode ser um local repleto de agentes alérgenos. Dê preferência ao colchão de espuma, assim como travesseiros e roupas de cama antialérgicos. Estima-se que, após 6 anos de uso, 10% do peso de um travesseiro é composto apenas por ácaros e seus esporos segundo um estudo da Unicamp.

Alergias a animais de estimação

Mulher espirrando com rinite alérgica com gato no colo

 

Cada vez mais os pets fazem parte da vida das pessoas. No entanto, especialistas apontam que, tanto o pelo, como a saliva dos animais domésticos podem ser agentes alérgenos. Por isso, é muito importante que se mantenham os pets sob os cuidados necessários de higiene e boa saúde.

Não há muito como evitar o contato com o cachorrinho ou gatinho. Sobre isso, pesquisas mostram que o convívio com gatos e cães, por exemplo, é importante para pessoas, principalmente crianças, já que:

- Desenvolvem um sistema imunológico mais forte;

- Têm risco reduzido de sofrerem infecções respiratórias e de ouvido; e

- Curam-se com maior facilidade de doenças respiratórias e utilizam menos antibióticos..

Como prevenir as crises de rinite alérgica?

 

Existem muitas formas de evitar crises de rinite alérgica. Um dos principais fatores é realizar a limpeza correta da casa (confira 7 dicas de limpeza para alérgicos), principalmente em locais com circulação de bebês e idosos.

Para evitar crises alérgicas devido ao cheiro forte dos produtos, recomenda-se apenas o uso de um pano úmido nos locais e nos móveis.

Porém, não é somente através da higiene que a rinite pode ser evitada. Controlar a umidade é um método fundamental no combate às crises alérgicas, sendo capaz de melhorar a qualidade de vida de sua família também a longo prazo.

Para isso, é recomendado o uso de um desumidificador de ar Desidrat. Ao mesmo tempo em que mantém a umidade nos níveis recomendados pela OMS, entre 50% e 60%, o equipamento evita a proliferação de microrganismos (ácaros e fungos) e torna o ar mais apropriado para seres humanos e animais.

Além disso, o Desidrat retém as partículas em suspensão, oferecendo um ambiente muito mais saudável para pessoas que sofrem com alergias respiratórias.

Outras dicas válidas:

- Mantenha sempre a ventilação com a renovação de ar constante. Se isso não for possível, mantenha o Desidrat mais tempo em funcionamento. Ele garantirá um ar de qualidade no ambiente fechado;

- Evite o uso frequente de ar condicionado, já que o choque térmico e o acúmulo de partículas dos filtros pode ocasionar crises

- Evite cortinas, carpetes e tapetes sempre que possível, esses são elementos que facilitam ainda mais a condição de vida dos agentes alérgenos

- Evite o contato com odores fortes

- Realize a higiene necessária nos cômodos de sua casa. Mantenha ambientes limpos, livres de poeira, fungos e ácaros para acabar ou diminuir o contato com o alérgeno.

Conheça os desumidificadores de ar Desidrat e promova mais qualidade de vida para você e sua família.

Fale agora com um de nossos consultores e saiba qual é o modelo ideal para sua residência.

Surgiu alguma dúvida? Fale conosco!

Erro: Preencha os campos obrigatórios.

Erro: Preencha os campos obrigatórios.

Ao usar o formulário, você concorda com a nossa política de privacidade

© Thermomatic do Brasil | Otimização de Sites SEO - Marketing em Internet

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para guardar estatísticas de visitas e assim melhorar sua experiência de navegação, saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi e Fechar