Rinite alérgica: sintomas, causas e tratamentos eficazes

Rinite alérgica: sintomas, causas e tratamentos eficazes
Rinite alérgica: sintomas, causas e tratamentos eficazes

No Brasil, cerca de 30% dos adolescentes e 26% das crianças apresentam sintomas de rinite alérgica, segundo dados do The International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). O estudo ainda revelou que o país é um dos que tem o maior número de pessoas com rinite ou asma no mundo.

De acordo com a pesquisa, um dos fatores que pode influenciar a rinite crônica é a genética. O filho de um casal alérgico tem de 50% a 70% de chance de também sofrer com alergias. A hereditariedade é associada a causas ambientais e resulta na manifestação da doença, que não costuma ocorrer antes dos 12 meses de vida.

Embora não tenha cura, várias são as estratégias para amenizar os sintomas. Uma delas é fazer o controle da umidade do ambiente com desumidificador, já que as crises ocorrem devido à ação dos alérgenos, que se proliferam em locais com umidade excessiva.

A seguir, informações detalhadas sobre a doença, suas causas, sintomas e as melhores maneiras de tratá-la.

Mulher com spray nasal para rinite

O que é rinite alérgica?

A rinite alérgica é um processo de reação do corpo a algumas partículas estranhas que são inaladas, conhecidas como alérgenos. Quando esses elementos passam pelo nariz (que funciona como um filtro), são imediatamente detectados pelo sistema imunológico, que reage em uma tentativa de proteger o organismo.

A rinite alérgica pode ocorrer durante o ano todo, mas é mais frequente em épocas como outono e inverno.

O que piora a rinite alérgica?

  • Carrapato Marrom

    Ácaros: microrganismos altamente alérgenos que se desenvolvem em ambientes escuros e úmidos, locais que acumulam poeira doméstica, em pêlos de animais de estimação, colchões, roupas de cama e banho, entre outros.

  • Mofo e bolor

    Mofo e bolor: assim como os ácaros, os fungos também preferem lugares úmidos para se proliferarem. São comumente encontrados nas paredes, nos tetos e em móveis de madeira.

  • Pólen

    Pólen: os agentes alérgenos ficam suspensos no ar durante a primavera, mas também podem estar presentes em qualquer época do ano na presença de flores.

  • Mudanças bruscas de temperatura

    Mudanças bruscas de temperatura: são comuns no Brasil, principalmente na região Sudeste, que apresenta trocas repentinas de temperatura, independente da estação.

  • Produtos de limpeza

    Produtos de limpeza: o cheiro forte de produtos de higiene pode causar a irritação dos olhos e do nariz, facilitando o desenvolvimento da alergia.

Sintomas de rinite alérgica

Logo após o contato com os alérgenos, é possível notar sintomas como:

  • Obstrução nasal: quando o nariz é identificado com acúmulo de líquido na mucosa;

  • Espirros frequentes em um curto período;

  • Coceira no nariz, nos olhos ou na garganta.

Sinais como dor de cabeça, fadiga e falta de ar costumam aparecer algumas horas depois do contato.

O diagnóstico de rinite alérgica pode ser feito por meio de teste cutâneo, solicitado por um otorrinolaringologista ou um alergologista. Eles dão um parecer final sobre qual tratamento é necessário para cada tipo da doença.

Rinite alérgica tem cura?

Teoricamente, o uso de medicamentos não cura a rinite alérgica. Mas, os sintomas podem ser controlados com remédios que garantem uma vida completamente normal ao paciente.

Na prática, o ideal é que a pessoa alérgica jamais abandone o tratamento e seus medicamentos, indicados sempre por prescrição médica.

A lista de remédios para rinite é vasto. Muitas vezes são necessárias tentativas para chegar ao medicamento ideal. Algumas pessoas usam anti-histamínicos (mais conhecidos como antialérgicos), mas isso não significa que eles sejam recomendados para todos.

Cada paciente deve receber um diagnóstico e o tratamento de maneira individualizada, para evitar efeitos colaterais indesejados.

Mulher assoando o nariz devido à rinite

Tratamento para rinite alérgica

Se a rinite não for tratada, ela pode se agravar e outros sintomas começarem a surgir, aumentando as chances do desenvolvimento de doenças respiratórias como sinusite e asma.

Nos casos específicos de rinite alérgica, os tratamentos com vacinas antialérgicas e imunoterapia podem ajudar no controle da doença. Para os outros tipos de rinite (não alérgicas), essas prescrições não surtem os efeitos desejados.

Diagnosticada com o quadro de rinite alérgica, a pessoa deve se atentar às condições do ambiente, evitando o contato com os agentes agressores como: poeira domiciliar, poluição do ar, fumaça de cigarro, cheiro de produtos químicos e microrganismos (ácaros e fungos em geral), dentre outros elementos que irritam a mucosa nasal.

Uma recomendação simples, mas muito eficiente, é não descuidar da higiene nasal. Ou seja, lavar sempre o nariz com soro fisiológico e, em casos excepcionais, apenas com água potável, de preferência mineral. Isso irá aliviar a congestão nasal e trazer mais conforto para o paciente.

Quem tem rinite alérgica pode optar pelo uso de produtos sem cheiro, até mesmo em relação à higiene pessoal. O sabão e o shampoo de glicerina são opções válidas que não causam reações exageradas.

Em relação à residência, o dormitório pode ser um local repleto de agentes alérgenos. Dê preferência ao colchão de espuma, assim como travesseiros e roupas de cama antialérgicos. Estima-se que, após 6 anos de uso, 10% do peso de um travesseiro é composto apenas por ácaros e seus esporos, segundo um estudo da Unicamp.

O que é bom para rinite alérgica?

Basta mudar o tempo que começam as buscas por “como melhorar a rinite?”, “o que é bom para rinite alérgica?”, “rinite como aliviar?” ou mesmo “como aliviar a rinite rápido”. Isso porque, conviver com a doença pode causar uma série de incômodos.

Mas não se preocupe. Existem muitas formas de melhorar a rinite alérgica. Um dos principais fatores é realizar a limpeza correta da casa, principalmente em locais com circulação de bebês e idosos, que são mais vulneráveis.

Para evitar crises alérgicas devido ao cheiro forte dos produtos, recomenda-se apenas o uso de um pano úmido no chão e nos móveis.

Porém, apenas o ambiente limpo não é suficiente para prevenir as crises. Controlar a umidade por meio de um equipamento correto é um método fundamental no combate às crises alérgicas, sendo capaz de melhorar a qualidade de vida da família a curto, médio e longo prazo.

Qual aparelho para rinite funciona?

Muitas pessoas pensam que o umidificador de ar para a rinite pode ser uma boa solução, mas o aparelho não regula a umidade, promovendo um ambiente úmido e propenso ao aparecimento de ácaros que pioram as crises de rinite.

Para manter o ambiente mais saudável, é recomendado o uso de um desumidificador de ar Desidrat. Ao mesmo tempo em que mantém a umidade nos níveis recomendados pela OMS, entre 50% e 60%, o equipamento evita a proliferação de microrganismos e torna o ar mais apropriado para seres humanos e animais.

Além disso, o Desidrat retém as partículas em suspensão, oferecendo um ambiente muito mais saudável para pessoas que sofrem com alergias respiratórias.

Outras dicas para melhorar a rinite alérgica

  • Manter a ventilação para a renovação do ar. Se isso não for possível, a recomendação é deixar o Desidrat em funcionamento por mais tempo. Ele garantirá um ar de qualidade no ambiente fechado.

  • Moderar o uso frequente de ar condicionado, já que o choque térmico e o acúmulo de partículas dos filtros podem favorecer as crises.

  • Evitar cortinas, carpetes, tapetes e bichos de pelúcia sempre que possível, pois facilitam ainda mais a condição de vida dos agentes alérgenos.

  • Poupar contato com odores fortes.

  • Realizar a higiene necessária nos cômodos da casa. A dica é manter os ambientes livres de poeira, fungos e ácaros para acabar ou diminuir o contato com o alérgeno.

Conheça os desumidificadores de ar Desidrat e promova mais qualidade de vida para você e sua família.

© Thermomatic do Brasil | Otimização de Sites SEO - Marketing em Internet

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para guardar estatísticas de visitas e assim melhorar sua experiência de navegação, saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi e Fechar